Viagem a bordo do navio NRP-Sagres, atravessar o Atlantico com a jersey do Ferrobico

Desde maio até setembro de 2015 estive a bordo do navio NRP-SAGRES, onde tive oportunidade de pedalar com a camisola da da Secção de BTT e Cicloturismo do Ferrobico que me orgulho bastante de vestir.

 

Partida da Base Naval de Lisboa-Alfeite no dia 27 de Maio, logo começando por deixar familiares e amigos em terra, o primeiro impacto foi custoso, sabia que iria atravessar o mar Atlântico e a viagem era grande, foram 3 meses de bons e maus momentos.

 

Primeira paragem foi na Madeira, Funchal, já com 4 dias de mar, fizemos uma paragem para embarque de vinho moscatel da Madeira. No mesmo dia partimos em direção a Hamilton, nas Bermudas, foram mais 16 dias de mar até chegar a Hamilton, neste transito deu para fazer uns treinos no rolo, nos dias que o mar não estava agitado, sempre deu pra manter as pernas em movimento.

HAMILTON_BERMUDAS_2  HAMILTON_BERMUDAS_1

Chegada a Hamilton, o primeiro impacto foi o sentido contrário das estradas, como em Inglaterra, uma vez que o sentido era ao contrario do nosso, fazer rotundas ao contrario e pedalar assim nas estradas, fez um pouco de confusão ao início, mas depois tudo normal, tive oportunidade de ir conhecer a ilha e no próprio dia acabei por dar a volta a toda a ilha, deu para fazer um belo treino de 80kms.

 

Já com alguns dias atracados em Hamilton, lá seguimos em direção aos Estados Unidos, a expectativa era muita, foram mais 6 dias de mar, com mais uns treinos nos rolos até chegarmos a Philadelphia, porto este que não deu para pedalar, com dias de chuva e serviço a bordo. Por outro lado, aqui deu para irmos fazer uma viagem até New York, cidade que nunca dorme, e a bicicleta ficou a dormir no navio.

 

Depois de deixar o porto de Philadelphia, seguimos em direção a Greenport, apenas 2 dias de navegação até este porto, aqui sim disfrutei da minha bicicleta. Tive oportunidade, de, todos os dias, conhecer esta terra e arredores, sítios bem bonitos e estradas magnificas para a pratica de ciclismo, onde encontrei grandes grupos de ciclismo onde tive oportunidade de pedalar com essa gente, resumindo ainda deu para fazer perto de 180 kms em vários dias por Greenport.

GREENPORT 1  GREENPORT 2

Seguimos em direção a Newbedfor, apenas 1 dia a navegar, neste porto iriamos ser recebidos pela maior comunidade portuguesa dos Estados Unidos, que nos receberam muito bem, Newbedfor não deu mesmo para pedalar, onde estive de serviço e no dia a seguir saímos para o mar em direção ao próximo porto, Boston. Em Boston apenas deu para fazer rolo no navio e passear e conhecer os locais a pé, achei um pouco perigoso pedalar nesta cidade bem confusa de estradas perigosas para se andar de bicicleta, optei por não pedalar na rua e sim no navio no rolo.

 

Estivemos 4 dias atracados em Boston, passados esses dias, lá seguimos em direção aos Açores, aqui estávamos exatamente a metade da viagem, começava o regresso a Portugal, já se sentia um nervoso miudinho.

 

Foram mais 16 dias a navegar até chegar ao Arquipélago dos Açores, aqui lá fiz eu mais uns treinos nos rolos, o navio fundeou e onde tivemos o privilegio de pisar a ilha do Corvo, apenas foi para visitar, ficando o navio fundeado ao largo a ilha, após as visitas feitas lá seguimos em direção a Ilha das Flores onde iriamos atracar 2 dias, aqui sim aproveitar para pedalar, sinceramente as Ilhas dos Açores são magnificas para a pratica do ciclismo, estradas ótimas e boas rampas para abrir o pulmão do pessoal, subidas com 7 a 8 kms onde cheguei a ter 20% de inclinação, adorei mesmo pedalar nesta ilha, deu para fazer 50 kms bem durinhos.

AÇORES_ILHA DAS FLORES_2  AÇORES_ILHA DAS FLORES_1

Depois desta paragem nas Flores, seguimos em direção a outra ilha onde passamos junto das seguintes ilhas, Horta, Pico e São Jorge, apenas deu para ver no nosso transito até à Ilha Terceira, ilha onde atracámos e aqui sim fui novamente dar a minha pedalada pela ilha, sei bem que iria apanhar novamente umas subidas inclinadas, mas sinceramente mais uma vez adorei pedalar nesta ilha, deu para fazer dois treinos, o primeiro foi para conhecer um pouco da ilha com passagem por Angra do Heroísmo, treino este deu para fazer 65 kms, já o segundo foi mesmo para relaxar pelas estradas da praia da vitoria subindo a miradouro, apenas 35 kms.

 

Após 4 dias nesta bela da Ilha da Terceira, seguimos rumo a Amesterdão, iria ser mais uma tirada de 15 dias, onde lá eu ia fazendo mais uns treinos nos rolos, cada vez que o mar deixava, como seguíamos rumo ao norte da Europa, estava previsto apanhar um pouco o mar agitado e assim aconteceu, dias de agitação marítima, lá chegamos então a Amesterdão, iriamos integrar o Sail Amesterdam 2015, muito giro ver veleiros de todo o mundo numa regata para mais tarde recordar.
Em Amesterdão não pedalei, mesmo sendo a cidade das bicicletas, mas não me aventurei a ir pedalar, já que ruas cheias de movimentação tanto de pessoas como bicicletas e motas, tornando-se um pouco perigoso e o treino não iria ser produtivo, uma vez que não se tinha o ritmo constante, optei por visitar sítios que não devo voltar e conhecer um pouco da cidade, mas a pé.
Depois de Amesterdão seguimos rumo a Lisboa, apenas 8 dias e chegávamos a casa, as saudades já eram bastantes dos que ficaram na Base no dia de despedidas.

 

Resumindo em poucas palavras, foi uma viagem bonita com maus e bons momentos, deu para fazer uns treinos tanto a navegar, bem como atracado, rodando perto de 750Km realizados nestes 3 meses de viagem.

 

 

Eduardo Gomes
Secção de BTT e Cicloturismo do Ferrobico

Deixar uma resposta